Logo Prefeitura de Salvador

Salcine Cursos: Prefeitura e Senai certificam 70 profissionais para a área de audiovisual

Publicado: 10 de abril de 2024-9:23

Salvador já começa a receber os primeiros profissionais na área de audiovisual formados pelo SalCine Cursos, projeto de capacitação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Renda (Semdec) e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult). Os 70 concluintes das turmas de Criação de Roteiro para Longa-metragem de Ficção, Assistente de Câmera, Operador de Iluminação e Produção Executiva receberam o certificado de conclusão das atividades na noite da terça-feira (9), durante cerimônia no auditório do Senai Cimatec, em Piatã. As formações são realizadas em parceria com o Senai Cimatec e tiveram duração de quatro meses.

A titular da Semdec, Mila Paes, afirmou que essa primeira etapa das trilhas formativas é resultado de uma política pública transversal, com atuação das duas secretarias. “Hoje, finalizamos o primeiro ciclo do SalCine Cursos, que promete trabalhar um segmento com um grande potencial para se tornar relevante no Produto Interno Bruto (PIB) de Salvador, em um curto espaço de tempo, tanto na geração de emprego e renda, mas principalmente, na geração econômica da cidade”.

O secretário de Cultura e Turismo, Pedro Tourinho, revelou a alegria de estar formando a primeira turma do SalCine Cursos. “Em termos de política pública, eu considero o SalCine um dos programas mais completos do país. Em menos de um ano de criação, nós já termos essa quantidade de profissionais capacitados pelas trilhas formativas representa muito, não só para a cultura da cidade, mas também para geração de emprego e renda. No âmbito da infraestrutura, a expectativa é que consigamos desenvolver mais estúdios, trazendo mais ferramentas de produção na cidade e tornando Salvador, em alguns meses, o maior polo de produção audiovisual fora do eixo Rio-São Paulo”.

Expectativa – A primeira etapa das trilhas formativas do SalCine Cursos começou em outubro de 2023 e tem como foco inicial dois pilares, o da pré-produção e da produção. Já foram realizados nove workshops, que impactaram cerca de mil pessoas. Até o mês de junho, a primeira etapa do SalCine Cursos irá promover mais sete workshops gratuitos, totalizando 600h de formação. Nos ciclos seguintes, as trilhas formativas irão abordar as etapas de pós-produção, distribuição e exibição do setor audiovisual.

Camila Aguilera soube do SalCine Cursos pelas redes sociais. Agora, formada em Produção Executiva, a expectativa é de se capacitar ainda mais e seguir carreira. “É um momento de muita alegria, foi um percurso muito intenso e muito consistente. Tivemos a sorte de ter professoras incríveis, o curso foi agregado ao Nordeste Lab, então foram experiências muito enriquecedoras. Agora vou seguir num processo de formação, porque é preciso criar conexões, começar a trabalhar, continuar participando dos laboratórios, dos festivais e dos outros eventos que vierem por aí”, contou.

Fotos: Luan Teles/Secult PMS

Artistas destacam alegria e emoção de participarem da celebração dos 475 anos de Salvador

Publicado: 7 de abril de 2024-9:29

Artistas que se apresentaram neste sábado no espetáculo Salvador Capital Afro, na Praça Maria Felipa, no Comércio, comemoraram o sucesso e a potência do evento e destacaram a alegria de participar da celebração dos 475 anos da capital baiana. O show foi conduzido pelos cantores Carlinhos Brown e Larissa Luz e contou com participações de Seu Jorge, Luedji Luna, Banda Didá e da escola de samba Viradouro. 

Larissa Luz agradeceu ao público, disse ter finalizado o espetáculo satisfeita e enalteceu Salvador. “Eu saí com a sensação de que a gente tem uma cidade riquíssima e que o problema bom é ter um monte de elementos para poder mostrar e resumir num espetáculo, é constatar que a gente tem coisas que precisam ser valorizadas, resgatadas, mostradas para essa geração que está aqui agora, para que não se percam de si, não se percam da sua história, da sua tradição. Então, eu saí contemplada e realizada de estar podendo fazer parte de um momento desse e de ter nascido em Salvador”, destacou. 

Carlinhos Brown sugeriu que o show apresentado neste sábado possa rodar o Brasil. “Para ver o que é que a baiana tem”, disse, ao destacar também sua emoção com a apresentação. “Olha, foi um prazer, foi muito emocionante, porque nos juntamos em torno de fazer esse espetáculo. Eu fiquei muito feliz pelo fato de Lari (Larissa Luz) ter organizado todos os textos, de ter feito também uma bela direção com Gil (Alves, que fez a direção artística). E agora todo o Brasil vai poder ver isso”, afirmou. 

O cantor Seu Jorge não escondeu a felicidade por participar do espetáculo. “Salvador é uma cidade importante para a história do país, uma cidade que tem 87% da população negra, então me identifico muito. Eu me identifico como africano nascido em terras brasileiras. Eu estou muito feliz e honrado de poder estar não só no dia da comemoração do aniversário, mas estar ao lado de Carlinhos, de Larissa, com essa plateia, com essa gente simples, da mesma frequência que eu”, afirmou. 

Ele ainda enalteceu a riqueza cultural de Salvador e disse que é fundamental uma maior integração entre as culturas. “Estamos buscando, sim, mais integração entre nós, entre nossa cultura e nossa expressão. E a Bahia é um grande ponto de partida, né? Não é à toa que a Beyoncé veio para cá, não foi para o Rio de Janeiro”, disse.

Luedji Luna lembrou que, no ano passado, também participou do show de aniversário da cidade, ao lado de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Ivete Sangalo. “Foi ótimo, uma honra, uma alegria. A banda estava afinadíssima, o público entregando tudo também. É minha segunda vez cantando no aniversário da cidade. Eu espero ser chamada sempre porque eu amo cantar na minha terra. É isso, viva Salvador”, afirmou.

Espetáculo Salvador Capital Afro reúne Brown, Larissa Luz e convidados para celebrar os 475 anos da cidade

Publicado: 6 de abril de 2024-9:31

Com o pôr do sol da Baía de Todos os Santos como cenário, o espetáculo Salvador Capital Afro, realizado neste sábado (6), na praça Maria Felipa, no Comércio, celebrou os 475 anos da capital baiana, comemorados no dia 29 de março. A apresentação foi conduzida pelos cantores Larissa Luz e Carlinhos Brown e recebeu como convidados Seu Jorge, Luedji Luna e Banda Didá. O show trouxe referências a elementos importantes da cultura da cidade, citando símbolos, pessoas, movimentos, músicas e artistas que fizeram e fazem parte da construção da identidade da capital da Bahia.

Apresentado por Larissa e Brown, o espetáculo, que tem direção artística de Gil Alves e musical de Thiago Pugas (Pugah), contou com um repertório recheado de sucessos que marcaram a música baiana e brasileira, com homenagens a artistas como Gilberto Gil, Raul Seixas e Gal Costa. O set list do espetáculo ainda teve hits da música baiana como Andar com Fé, de Gilberto Gil; Ashansu, de Brown; Divino Maravilhoso, de Gal Costa; e Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas. 

Seu Jorge interpretou compositores de Salvador num capítulo que fala sobre a relação da cidade com a escrita que vai para o Brasil. Ele trouxe para o repertório canções suas, como Pessoal Particular, além outros sucessos, como Uma Brasileira (Paralamos do Sucesso). Luedji Luna e Banda Didá exaltaram a força feminina da cidade e tocaram sucessos como Alegria da Cidade (Lazzo Matumbi) e Banho de Folhas, da própria Luedji. 

No decorrer do evento, ocorreu um momento especial com a participação da Escola de Samba Viradouro, que apresentou o samba enredo ‘Viradouro de Alma Lavada’, que homenageia as Ganhadeiras de Itapuã e foi apresentado em 2020 e vencedor do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro em 2020.

O público ficou encantado com a apresentação e cantou junto com os artistas todos os sucessos. O pedagogo José Eduardo Ferreira Santos foi do bairro de Plataforma para acompanhar o espetáculo e não escondeu a emoção. “Vim para curtir Brown, a Viradouro e essa paisagem espetacular de Salvador. Aqui é o cenário mais bonito do Brasil, é o frontispício do Brasil mais famoso do Brasil”, afirmou. 

Dudu Falcão, diretor da Viradouro, afirmou que a escola de samba se sente muito honrada por participar do espetáculo. “É o aniversário de uma capital muito importante culturalmente para o Brasil, e isso só nos faz crer que estamos no caminho certo, quando a gente se dispõe a fazer uma homenagem a uma ancestralidade, a essa região. Então, é uma maneira de a gente ser grato a todo esse axé, a essa energia positiva que Salvador traz para a gente”, disse. 

Sucesso – O secretário municipal de Cultura e Turismo, Pedro Tourinho, disse que o espetáculo Salvador Capital Afro fecha com chave de ouro as celebrações do aniversário de 475 anos da cidade. “Um evento que traz artistas daqui, artistas de fora que vêm celebrar Salvador. Isso é firmar cada vez mais a relevância da cultura negra de nossa cidade como sendo uma cultura protagonista do Brasil inteiro. Então hoje é um dia de, mais uma vez, um show feito especialmente para o aniversário da cidade, que desperta a atenção do Brasil e do mundo”, celebrou. 

O presidente da Saltur, Isaac Edington, também destacou que o show foi todo concebido para a celebração do aniversário da cidade, citando o palco feito exclusivamente para o espetáculo, inclusive com a seta de Oxumaré. “Aqui estão os nossos maiores patrimônios históricos da cidade, em um único lugar, que está concentrado aqui nessa praça fantástica”, salientou. 

Isaac comemorou ainda o sucesso das celebrações do aniversário da cidade ao longo do mês de março, fortalecendo a economia criativa da cidade. “Virou um grande festival que fortalece a economia criativa da cidade, faz com que a gente ative todo esse setor econômico que é a base econômica da cidade, do entretenimento, das artes, da gastronomia, do turismo, da música sobretudo. Então, é um momento muito especial”, ressaltou. 

Encerramento – No domingo (8), a partir das 12h, os festejos se encerram no Parque da Cidade, com a Banda Mel celebrando 40 anos de trajetória, relembrando clássicos da história do axé, a exemplo de Prefixo de Verão e Baianidade Nagô, nas vozes de Márcia Short e Robson Morais. O show é a estreia da turnê comemorativa dessas quatro décadas do grupo e promete não deixar ninguém parado no anfiteatro do espaço do Parque, localizado no Itaigara.

Bondinho Baiano fez ação especial para celebrar Dia Internacional da Síndrome de Down

Publicado: 21 de março de 2024-8:27

Nesta quinta-feira (21), Dia Internacional da Síndrome de Down, 18 pessoas portadoras da síndrome fizeram um passeio pelo Centro Histórico, no Bondinho Baiano. A ação foi realizada pelo Centro de Acolhimento a Pessoa com Deficiência João Paulo II (CAPD), um dos núcleos das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

O CAPD abriga 69 pessoas com diferentes deficiências e que estão em estado de abandono familiar. Hoje, algumas delas puderam desfrutar um roteiro especial que saiu do Elevador Lacerda, subiu para uma volta no Pelourinho, seguiram pela Avenida Sete de Setembro até o fim, desembarcando no Espaço Carybé de Artes, no Porto da Barra. Lá puderam desfrutar de atividades lúdicas e apreciar as obras do argentino mais baiano das artes plásticas.

O foco da assistência prestada no Centro é que, através de atividades internas e externas, eles possam vivenciar experiências que fomentem o desenvolvimento cognitivo e sociocultural. Dessa forma, o Bondinho Baiano levou o grupo a um passeio pensado especialmente para ele, desde a escolha do trajeto, regado a muita música, até o atendimento no Espaço Carybé das Artes, fazendo com que se sentissem em uma verdadeira pintura do artista.

“Muita alegria porque o nosso bondinho pode levar essas pessoas com síndrome de Down nesse dia tão especial, em parceria com as Obras Sociais Irmã Dulce. Eles tiveram a oportunidade de curtir essa experiência tão especial, além de passar por um circuito diferenciado e inclusivo.  Foi muito bom dar alegria para essas pessoas”, afirmou o diretor de Turismo da Secult, Gegê Magalhães.

Concurso é lançado para premiar fotografias do cotidiano de Salvador

Publicado: 15 de março de 2024-9:05

A primeira edição do concurso “SSA Foto Festival – Um olhar soteropolitano da nossa cidade” foi lançada nesta sexta-feira (15), para premiar fotos que retratem o cotidiano em Salvador. A iniciativa é apoiada pela Prefeitura, co-realizada pelo Shopping Barra, em parceira com a Secretaria Municipal Cultura e Turismo (Secult), o jornal Correio e o site Alô Alô Bahia.
O concurso tem como objetivo fortalecer a capital baiana como destino turístico e estimular reflexões sobre a relação entre os cidadãos e a cidade, por meio da linguagem fotográfica.
A inscrição é gratuita e as fotografias participarão do concurso precisam ser capturadas e postadas entre os dias 15 a 25 de março de 2024. Para a efetivação da candidatura, o participante deverá enviar postagem ao instagram @ssafotofestival, seguir a conta do concurso, e publicar a foto no feed pessoal, convidando o perfil do concurso como colaborador da postagem.
As imagens devem ser inéditas e originais, com limite de uma fotografia inscrita por pessoa. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente.
Os critérios “criatividade e originalidade”, “composição fotográfica e estética”, “qualidade artística” e “pertinência com o tema proposto” serão avaliados pela comissão julgadora.
As 30 selecionadas serão expostas de 28 de março a 14 de abril no Shopping Barra, Forte de Santa Maria e Mercado Modelo. Além da exposição a banca julgadora realizará um “talk show” aberto ao público e um tour especial por Salvador com os 30 fotógrafos selecionados e os juntados.
Para a etapa final, serão escolhidas as três fotografias finalistas ao critério dos curadores, a concorrer em voto popular pela plataforma do site Alô Alô Bahia, do dia 1º a 6 de abril de 2024. As fotografias vencedoras do concurso serão premiadas no dia 7 de abril.
O diretor de Turismo da Secult de Salvador, Gegê Magalhães, afirma que o concurso é um convite à população e aos visitantes de mostrarem a cidade a partir de um outro olhar. “Tem uma importância não só na divulgação das belezas da nossa cidade, do nosso povo e de tudo que temos para mostrar em forma de fotografia, mas também para trazer o soteropolitano e o visitante a ter a experiência de registrar tudo que Salvador tem. Não apenas fotos de pontos turísticos, queremos mostrar um lado de Salvador em fotografia que nunca foi visto. Convocamos todos a participar e embarcar nesse projeto conosco”, declarou.

AfroEstima Salvador 2024: Prefeitura lança mais de 500 vagas para programa de qualificação

Publicado: 11 de março de 2024-11:09

Estão abertas as inscrições para o AfroEstima Salvador 2024, programa da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) de capacitação e desenvolvimento do afroempreendedorismo da cidade, nas áreas da economia criativa e do turismo. Com mais de 500 vagas para os 11 módulos de ensino, os profissionais irão escolher as aulas que mais atendem as suas necessidades enquanto empreendedores.

Pela primeira vez, o programa será realizado através de uma parceria da Prefeitura de Salvador com o British Council no Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As aulas começam em maio, de forma virtual e presencial. O formulário para as inscrições está disponível até o dia 26 de abril, através do link https://forms.gle/r1is4xdBMLLsYZKR6

Neste quarto ciclo do AfroEstima, o plano pedagógico também foi elaborado para atender às demandas do mercado com foco em gestão, marketing digital, inovação, liderança feminina e outras áreas estratégicas para o crescimento do próprio negócio e desenvolvimento pessoal, aliado a um quadro de professores especialistas em suas áreas. 

Para a diretora de Cultura de Salvador, Maylla Pita, o AfroEstima tem tido ciclos sucessivos de sucesso, comprovados pela iniciativa do British Council e do BID em serem parceiros do programa. “Após ter atendido mais de 1 mil empreendedores negros em seus ciclos iniciais, o AfroEstima retoma suas atividades de forma ainda mais aprimorada e conectada com os diferentes níveis de maturidade dos empreendimentos e com as necessidades que foram possíveis mapear na experiência inicial”, afirmou. 

Da mesma forma, o diretor do departamento de Artes do British Council, Rafael Ferraz, considera o AfroEstima uma ferramenta para potencializar o afroturismo. “O British Council está muito feliz em iniciar mais essa parceria com Salvador, contribuindo para potencializar o Afroturismo e capacitar os empreendedores que fazem desta cidade o local vibrante e apaixonante que é. Para somar ao brilhante time de especialistas locais que vão facilitar as sessões de capacitação, estamos trazendo, pela primeira vez, uma participação internacional para facilitar o módulo Liderança Feminina. Temos certeza de que este novo ciclo do AfroEstima será um grande sucesso”, destacou. 

Impacto – Neste ciclo do AfroEstima, os empreendedores também terão oportunidade de ter aulas sobre História e Cultura de Salvador, Oficina de Libras Experimental, Cultura Yorubá, Empreendedorismo Social Afrocentrado e Liderança Feminina, além de um módulo exclusivo sobre Qualidade e Segurança no Acarajé, que será ministrado pela coordenadora da Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Mingau e Receptivos da Bahia (Abam), Rita Santos. 

Márcia Meireles é proprietária do Tiaráfrica Acessórios e participou do segundo ciclo do programa, tendo se formado em diversos módulos. “Foi muito importante [participar do AfroEstima], pois além de aprender como lidar com meu empreendimento, eu também aprendi a lidar e melhorar o relacionamento com meus clientes. Os professores são super atenciosos, as meninas da produção são excelentes, eu amo o programa”, contou. 

Especialista em Gênero e Diversidade no BID, Laísa Rachter considera o AfroEstima como uma peça “essencial” no âmbito do afroempreendedorismo. Este projeto reflete o compromisso conjunto com a promoção da igualdade racial e a criação de oportunidades econômicas. O BID, reconhecendo a importância desta iniciativa, orgulha-se de continuar a apoiar o programa AfroEstima e a Prefeitura, ajudando a criar condições para que os afroempreendedores sejam agentes do crescimento econômico, de soluções sustentáveis e da luta contra a desigualdade”, afirmou.

Na quinta-feira (7), uma live de pré-lançamento contou com a participação da britânica Jiselle Steele, que estará à frente do módulo Liderança Feminina. A professora possui mais de 13 anos de experiência em liderança e consultoria de políticas e projetos que promovem o empoderamento econômico de mulheres mundialmente, incluindo o desenvolvimento de uma Incubadora de Impacto Social com 50 empreendedoras sociais afro-brasileiras e um projeto de apoio a empreendedoras negras no Reino Unido durante a pandemia do coronavírus. 

Funcionamento – O AfroEstima integra o eixo de formação do movimento Salvador Capital Afro, surgido em 2019 com o propósito de impulsionar o afroturismo na cidade. Desenvolvido pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) Salvador, o AfroEstima dedica-se à qualificação profissional de afroempreendedores na capital baiana, reconhecendo o afroempreendedorismo enquanto uma poderosa força de transformação social e econômica.

Foto: Jefferson Peixoto/Secom PMS

Casa do Rio Vermelho realizará tributo a Zélia Gattai no Dia Internacional da Mulher

Publicado: 7 de março de 2024-10:26

A Casa do Rio Vermelho – Jorge Amado e Zélia Gattai recebe nesta sexta-feira (8), a partir das 17h, uma serenata aberta ao público em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. O espaço funciona na Rua Alagoinhas, 33, Rio Vermelho, e o ingresso custa R$20 (inteira) e R$10 (meia) – benefício estendido para moradores de Salvador mediante apresentação do comprovante de endereço.

Serão realizadas apresentações em vídeo, músicas, prosa e histórias que fazem reverência ao legado da escritora. O sarau lembrará a mesa musical “As Amadas Canções”, realizado para Jorge Amado na época da primavera dos museus.

Maria João Amado, neta de Zélia e Jorge Amado e organizadora do evento ao lado da cantora Guida Moira, exalta a importância de apresentar a escritora para as pessoas que ainda não a conhecem. “Zélia foi uma mulher à frente do seu tempo, que acreditava que as pessoas não têm prazo de validade. Mesmo casada com uma das maiores personalidades mais importantes do século XX, nunca se colocou atrás de Jorge, sempre ao lado”, comentou.

Ela ainda salienta o valor da cultura e da arte como um local onde o oprimido pode mostrar a sua voz. “Historicamente, as mulheres tentaram ser silenciadas e apagadas na cultura e na arte, mesmo estando sempre presentes, nem que fosse com pseudônimos. Isso mostra como a arte é uma forma de trazer conquistas para as mulheres e atingir os seus sentimentos”, completou.

Perfil – Zélia Gattai Amado de Faria (1916-2008) foi uma escritora, fotógrafa e memorialista. Começou a escrever com 63 anos e estreou na literatura com o livro de memórias “Anarquistas Graças a Deus”. Em 2001, foi eleita para a Academia Brasileira de Letras, para a cadeira nº 23, a mesma que pertenceu ao marido Jorge Amado. Casada com o escritor baiano durante mais de 50 anos, viveram em Salvador na casa onde hoje é o espaço cultural

Foto: Divulgação / PMS

Último fim de semana de “Um Defeito de Cor” no Muncab tem entrada gratuita

Publicado: 1 de março de 2024-9:27

A exposição “Um Defeito de Cor” chega no último fim de semana de visitação no Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab). A visitação pode ser feita gratuitamente nesta sexta-feira (1º), sábado (2) e domingo (3), das 10h às 17h, na Rua das Vassouras, 25, Centro Histórico. O agendamento é feito através de link disponível no perfil do Instagram do Muncab (@muncab.oficial).

A mostra é resultado da parceria entre a Prefeitura de Salvador, a Sociedade Amigos da Cultura Afro-Brasileira (Amafro) e a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), com a concepção original do Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR). A exposição foi inspirada no romance literário “Um Defeito de Cor”, da escritora mineira Ana Maria Gonçalves. Inclusive, a própria autora faz parte da curadoria, ao lado de Ana Bonan e Marcelo Campos.

O livro também inspirou o samba-enredo da Portela no Carnaval deste ano, levando a escola de samba a conquistar o estandarte de ouro do grupo especial. Com o desfile e premiação, os livros foram esgotados em uma multinacional de tecnologia norte-americana.

Acervo – Salvador foi a segunda cidade a receber a premiada exposição, montada inicialmente no MAR, e daqui ela segue para o Sesc Pinheiros, em São Paulo. O acervo conta com 370 obras de mais de 100 artistas do Brasil e do mundo e está dividido em dez núcleos, cinco deles no térreo e cinco no primeiro andar.

Esses núcleos foram inspirados nos dez capítulos do livro. A mostra fala das lutas e das resistências afro-diaspóricas nas Américas, do protagonismo feminino, da religiosidade, dos símbolos que fazem parte da cultura africana e afro-brasileira e também da África Contemporânea.

No local, é possível apreciar peças raras de artistas baianos, a exemplo do Mestre Didi, do ferreiro José Adário dos Santos (Zé Diabo), J. Cunha, das bonecas de Valdete da Silva (Mãe Detinha), e das colagens de Yêdamaria, uma das fundadoras do Muncab. Também fazem parte do acervo as fotografias do nigeriano Iké Udé e peças de outros artistas internacionais. 

“A exposição ‘Um Defeito de Cor’ tem um lugar muito significativo aqui nesta cidade, que é a cidade mais negra fora de África. Para além do Muncab ser esse lugar de salvaguarda dessa história da cultura afro-brasileira contada por pessoas negras, o que é muito potente, ele é um espaço de difusão da arte negra, da difusão do trabalho desenvolvido por artistas visuais negros do nosso país e da nossa Salvador. São poucas as experiências no país semelhantes à do Muncab, que é um museu vivo”, afirma a diretora de cultura da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Mayla Pitta.

Foto: Jefferson Peixoto/Secom PMS

Panorama Internacional Coisa de Cinema movimenta Salvador em março

Publicado: 28 de fevereiro de 2024-9:26

Salvador terá uma grande festa de exposição da produção audiovisual brasileira e internacional entre os dias 14 e 20 de março, com a realização do XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema no Cine Glauber Rocha, situado na Praça Castro Alves, e também na Sala Walter da Silveira, nos Barris. As informações sobre os filmes que irão participar do Panorama foram divulgadas na tarde desta terça-feira (27), durante coletiva de imprensa, no Cine Glauber Rocha.

Será um momento único para acompanhar a diversidade cinematográfica produzida na Bahia, no Brasil e em outros países do mundo. Além da exibição dos filmes, o panorama também vai contar com a realização de oficinas, laboratórios, diálogos, debates e palestras sobre o cinema e as produções cinematográficas em âmbito local, nacional e internacional.

O XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema está sendo realizado por meio do edital SalCine, desenvolvido pela Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), a partir da Lei Paulo Gustavo, com recursos da União e suplementação do Município. O evento conta também com patrocínio do Instituto Flávia Abubakir e da produtora Coisa de Cinema.

Gestor audiovisual da Secult, Felipe Rêgo, destacou que o SalCine se estabelece no cenário audiovisual soteropolitano como um marco junto aos principais eventos de audiovisual. Sendo assim, o Panorama abre um calendário de projetos que serão executados este ano.

“O SalCine assina a realização do Panorama, este ano, através do seu edital e da sua política de fomento, que financiou 66 projetos no ano passado. Foram investidos mais de R$19 milhões na cadeia audiovisual, em projetos de produção, de difusão, como o projeto do Panorama. Então, é um grande prazer e uma grande honra para a Prefeitura poder contribuir agora com a realização do maior e mais longevo festival do estado”, destacou.

Idealizador e coordenador do Panorama, Cláudio Marques disse estar muito feliz com o fomento municipal. “É a primeira vez que estamos sendo patrocinados pela Prefeitura. Eu estou muito contente e de fato há uma novidade no ar. De fato, a Prefeitura começou a se importar com o audiovisual na cidade. Isso é uma novidade das mais interessantes. É perceptível um interesse genuíno da gestão municipal em apoiar e patrocinar a produção audiovisual em Salvador e eu acho que vem mais coisas pela frente”, disse.

Também coordenadora do evento, Marília Hughes lembrou que, no ano passado, o festival não foi realizado por falta de patrocínio. “Quando surgiu o edital da Prefeitura através da SalCine e fomos contemplados, foi muito bom, porque a gente tinha trabalhado para realizar no ano passado. Então já vínhamos fazendo curadoria desde março de 2023 e ia ser um trabalho que iria se perder. Com o SalCine, conseguimos dar continuidade e finalizar esse trabalho agora para o início de 2024”, contou.

Em sua 19ª edição, o Panorama homenageia Glauber Rocha e Castro Alves, artistas baianos nascidos em 14 de março – o cineasta em 1939, o poeta em 1847 – e com papel fundamental na cultura brasileira.

Filmes – Fazem parte das 138 produções, dentre longas, curtas e documentários, os 73 filmes selecionados para as Competitivas Nacional, Baiana e Internacional, que avaliarão e premiarão os melhores filmes no último dia do Panorama, dia 20 de março. Ao todo, nove longas baianos estão na disputa, dois deles na Competitiva Nacional. Na Competitiva Baiana, são sete longas e 24 curtas, representando um período produtivo no cenário atual baiano.

Os longas que fazem parte da Competitiva Baiana são A Matriarca, com direção de Lula Oliveira; Café, Pépi e Limão, de Adler Kibe Paz e Pedro Léo; Cosmovisões, de Marcília Cavalcante, Diário de Primavera, de Fabíola Aquino e Juliano de Paula Santos; Dois Sertões, de Caio Resende e Fabiana Leite; Sysyphus, de George Neri e No Rastro do Pé de Bode, de Fabíola Aquino e Juliano de Paula Santos. Alguns dos curtas da competitiva baiana são 56 Dias, de Lara Carvalho; A Faísca, de Gabriela Monteiro; Além da Cancela, de Margarete Jesus, Camaleoa, de Euardo Tosta e O Homem que Virou Castanha, de Natan Fox.

A relação completa dos filmes participantes e as informações sobre as oficinas e laboratórios podem ser acessada no site do XIX Panorama Internacional Coisa de Cinema e também no perfil do Instagram (@panoramacoisadecinema). Os ingressos para as sessões terão preços populares de R$12 (inteira) e R$ 6 (meia entrada). Além disso, será comercializado um passaporte individual para dez sessões por R$55, e na Sala Walter da Silveira, a programação será gratuita.

Foto: Jefferson Peixoto/ Secom PMS

Passaporte promocional possibilita visitação de cinco espaços de cultura e lazer até quinta (29)

Publicado: 27 de fevereiro de 2024-8:31

Que tal conhecer um pouco da história do Carnaval, entender sobre a diversidade da música da Bahia, se deliciar com as obras e histórias da vida de Jorge Amado e ainda prestigiar pinturas e fotografias de artistas que por aqui passaram e deixaram legado? Quem quiser conhecer os espaços geridos pela Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), pode aproveitar o passaporte cultural promocional, em vigor até a quinta-feira (29).

Com valores de inteira R$40 e meia R$20 (benefício estendido para moradores de Salvador mediante comprovação de residência), a iniciativa permite que baianos e turistas visitem os cinco equipamentos que contam um pouco da história da primeira capital do Brasil e de algumas personalidades. São eles: Cidade da Música, Casa do Carnaval, Casa do Rio Vermelho, Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana e Espaço Carybé de Artes. O bilhete unificado pode ser adquirido em quaisquer dos equipamentos.

Casa do Carnaval – A Casa do Carnaval da Bahia fica na Praça Ramos de Queirós, s/n – Pelourinho, próximo ao Plano Inclinado Gonçalves, e fica aberta de terça a domingo, de 10h às 18h (entrada até as 17h). No local, é possível entender o Carnaval desde quando iniciou, com o entrudo, o carnaval de salão, os carros alegóricos e a fóbica de Dodô e Osmar até a transformação com os trios elétricos e o surgimento da axé music.

Cidade da Música – No Casarão de Azulejos Azuis, na Praça Visconde de Cairu, 19, no Comércio, está situado a Cidade da Música da Bahia. O espaço interativo funciona de terça a domingo, de 10h às 18h (entrada até as 17h), e traz a história da produção musical no estado desde o Brasil Império até os dias atuais.

Casa do Rio Vermelho – O memorial está situado na Rua Alagoinhas, 33, no Rio Vermelho. O funcionamento é de terça a domingo, das 10h às 18h (entrada até 17h. Em uma área de 2 mil m² e com perfil interativo, o memorial apresenta mais de 30 horas de vídeos e projeções, além de objetos pessoais e correspondências trocadas entre Jorge Amado e Zélia Gattai, que transmitem um pouco da trajetória do casal de escritores.

Pierre Verger e Carybé – Também estão inclusos no tour o Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana, situado no Forte Santa Maria, e o Carybé das Artes, no Forte São Diogo, ambos no Porto da Barra. Quem visitar o Espaço Cultural Pierre Verger também pode conhecer o Carybé das Artes, no Forte São Diogo, com pinturas do artista argentino que foi radicado na Bahia. Ambos os espaços culturais funcionam de quarta a segunda-feira, das 10h às 18h.

Foto: Jefferson Peixoto/ Secom PMS

Skip to content